Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
MISSÃO
O TRABALHO MISSIONÁRIO É DEVER DA IGREJA?
SIM DE TODAS AS IGREJAS
SIM MAS NÃO DE TODAS
NÃO
NÃO SEI RESPONDER
TENHO DUVIDA
Ver Resultados

ONLINE
1


Partilhe este Site...



 



Total de visitas: 9539
PALAVRA DE DEUS
PALAVRA DE DEUS

 

O QUE CRISTO É PARA OS CRENTES

I. NOSSA FORÇA

"A força da minha vida" - Salmo 27:1

Antes de sermos salvos, possuíamos somente a força da nossa carne. Com essa força carnal não podíamos agradar a Deus nem nos submeter à lei (Rom 8:8) ou ainda compreender as coisas do Espírito de Deus (I Cor 2:14). Desde o nosso nascimento na carne, falamos mentiras (Sal 58:3) e somos totalmente descritos pela Palavra de Deus como sendo desde a planta dos nossos pés até a cabeça não como casa sã, "senão feridas, e inchaços, e chagas podres não espremidas, nem ligadas, nem amolecidas com óleo" (Isa 1:6). Realmente, com um coração enganoso e perverso (Jer 17:9) nós, na carne, nos tornamos inimigos de Deus (Rom 8:7). Sendo assim somos considerados mortos e condenados por Ele (Rom 3:23; 5:12; 6:23).

Por Deus ser "riquíssimos em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo" (Efés 2:4,5). Por Cristo recebemos "todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais" (Efés 1:3) e assim, estando em Cristo, podemos dedicar louvor e glória a Deus por sua graça (Efés 1:6). Deus dá-nos, através de Cristo, e só por Cristo, (João 14:6) uma nova natureza (II Cor 5:17; II Ped 1:4) e um entendimento para conhecermos o que é verdadeiro (I João 5:20). Deus vêm morar em nós através do Seu Espírito Santo (I Cor 6:19) e devido a obra do Espírito Santo sabemos obedecer ao Nosso Deus (João 14:26).

O preço do pecado foi pago com a morte de Jesus Cristo e o poder do pecado foi quebrado com a ressurreição de Cristo (I Cor 15:55-57) e por isso não somos mais dominados pelo pecado (Rom 6:11-14). "Maior é o que está em vós do que o que está no mundo" relata João (I João 4:4). Mesmo tendo a última vitória e a vitória final sobre o pecado por Cristo ainda temos, enquanto estamos vivos na carne, a presença do pecado. A presença do pecado na nossa carne guerreia contra o Espírito de Deus que vive em nós, nossa nova natureza, e isso em muitas vezes faz o crente sentir-se um miserável (Rom 7:14-24).

Cristo traz ao crente inúmeras benções gloriosas não só no porvir quando o veremos face a face mas também agora neste presente século. Essas belezas apontam como nós podemos ter a vitória, agora, até que o vejamos pessoalmente. Queremos estudar as belezas que temos em Cristo e por elas sermos ensinados a renunciar à impiedade e às concupiscências mundanas para que vivamos "sóbria e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo; o qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras" (Tito 2:12-14).

"Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece." Filipenses 4:13

O Crente não é exposto aos perigos e aos poderes do Maligno sozinho. Ele não precisa ter uma vida vitoriosa por suas forças. Cristo é "a força da minha vida" então "de quem me recearei?" Cristo tem tanto a vontade de desejar quanto a força necessária para que se cumpra o desejo. Essa força está evidente na vida do crente das seguintes maneiras:

A. Resistir a Tentação

Cristo, ainda em forma de homem, passou por tentações e assim enfrentou pessoalmente a Satanás que em nenhuma instância quis poupar a Esse que veio o derrubar (Mat. 4:1-11). Nessas tentações Jesus, semelhante a nós "em tudo foi tentado, mas sem pecado" (Heb 4:14-16) nos mostrando que, pelo seu poder, também podemos vencer esse mal sempre presente. Não há razão para que não retenhamos firmemente a nossa confissão. Cristo já passou por estas situações, venceu e é a nossa força que nos facilita um escape das mesmas situações (I Cor 10:13).

Durante as tentações, como fez Cristo, só podemos ter a vitória lembrando-nos da Palavra de Deus aplicando-a à nossa situação. A nossa força durante as tentações é Cristo e não a nossa carne. Quando Satanás vier nos tentando temos a instrução de Pedro; "Ao qual resisti firmes na fé" (I Ped 5:9), e somos lembrados por Tiago a chegarmos a Deus, e Ele se chegará a nós (Tiago 4:7-8). Chegando a Deus lembraremo-nos da nossa relação com Deus por Cristo. Lembrar-se de Cristo nestas horas opera dando-nos força para resistirmos a Satanás, quem Cristo já venceu. Medite sempre nas obras de Cristo.

B. Persistir no Caminho da Santidade

A carne é fraca e vai se enfraquecendo a cada dia. As situações e os problemas em nossa vida nos desafiam a ponto de parecer que logo desfaleceremos e perderemos qualquer avanço que pela graça de Deus temos alcançado. A nossa força é pequena e a batalha é longa, séria e sombria. Há provocações que podem desafiar até mesmo os grandes na fé (I Cor 11:24-29). Em tudo, Cristo é a nossa força. Temos embaraços (impedimentos) na vida e sempre temos "o pecado que tão de perto nos rodeia". A solução é estarmos "Olhando para Jesus, autor e consumador da fé" e considerando "Aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo". Olhando para Jesus podemos ser animados para que não enfraqueçamos, desfalecendo nossos ânimos (Heb 12:1-4). Não resistimos até o sangue, combatendo contra o pecado. Vamos, então, olhar mais para Cristo e assim seremos resolutos e continuaremos na batalha. Medite na fidelidade de Cristo em face aos obstáculos.

C. Obedecer os Mandamentos

Há tantos mandamentos que Cristo deixou para nós guardamos que precisamos continuamente ser relembrados de todas as coisas que Ele nos tem mandado (Mat. 28:20). Há tanta fraqueza por parte da carne para obedecer que se não tivermos algo para nos ajudar, seremos vencidos. Apesar da seriedade dos preceitos que devemos cumprir ("Sede santos" I Ped 1:16; "sede vós pois perfeitos" Mat. 5:48) e apesar da fraqueza da nossa carne, podemos agradar o Santo e Perfeito por Cristo. "Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece." (Fil. 4:13). Não batalhamos em obediência a força da carne (batalhamos para morremos à carne!) mas em obediência aos mandamentos de Deus, com a força de Deus (Efés 6:12). Nessa batalha, Cristo é Quem nos capacita. Medite na obediência de Cristo.

"Olhando para Jesus, autor e consumador da fé" Hebreus 12:2

D. Amar uns aos outros

Cristo ocupou muito do seu tempo em oração quando esteve aqui na terra e muitas orações foram dirigidas em favor a aqueles que o seguiam. Cristo desejava o amor com que Deus o amava estivesse com os discípulos. Cristo deu o Seu mandamento que é este: "Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei" (João 15:12). Cristo é a força que nos capacita para amarmos uns aos outros, pois por Ele conhecemos o amor de Deus em primeira instância. Cristo é a força que nos capacita para amarmos uns aos outros, pois entre o seu mandamento e a operação do Espirito Santo não pode haver oposição. Medite na maneira como Cristo amou e procure a obra de Deus para amar aos outros.

E. Perdoar Nossos Devedores

Parte da ação de amar um ao outro é perdoar um ao outro. Temos o exemplo de Cristo para amar e temos Ele como modelo para perdoar. Efés 4:32 nos ensina, "Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo." Pense nas ações contra Cristo e Ele as perdoou para dar-nos um exemplo de perdão em relação a aqueles que são nossos opositores. (Lucas 22:26-43, "Pai, perdoa-lhes, porquê não sabem o que fazem."). Veja que Cristo é a força que nos capacita para que façamos o que agrada á Deus, inclusive perdoar um irmão de algo inferior ao que Deus já nos perdoou por Cristo.

 

Autor: Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Albano Dalla Pria 5/98 
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br 

 


 

A VERDADEIRA NATUREZA DA CONSAGRAÇÃO

    Rom 6:12-23 Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências; (13) nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado como instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como redivivos dentre os mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.

    (14) Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.

    (15) Pois quê? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum.

    (16) Não sabeis que daquele a quem vos apresentais como servos para lhe obedecer, sois servos desse mesmo a quem obedeceis, seja do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?

    (17) Mas graças a Deus que, embora tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; (18) e libertos do pecado, fostes feitos servos da justiça.

    (19) Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Pois assim como apresentastes os vossos membros como servos da impureza e da iniqüidade para iniqüidade, assim apresentai agora os vossos membros como servos da justiça para santificação.

    (20) Porque, quando éreis servos do pecado, estáveis livres em relação à justiça.

    (21) E que fruto tínheis então das coisas de que agora vos envergonhais? pois o fim delas é a morte.

    (22) Mas agora, libertos do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. (23) Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.

    A Palavra oferecer-se (apresentai) aparece nos versos 13, 16, 19. Isso é consagração. Não se trata da consagração do velho homem com suas qualidades e capacidades ao Senhor para Ele usar.

    Pois o verso 13 deixa claro o modo da consagração: "mas apresentai-vos a Deus, como redivivos dentre os mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça."

    Esse verso define o início da consagração - não consagramos nada do velho homem. Consagramos somente o que passou pela morte e ressurreição.

    A atitude de oferecer é uma consequência de saber que o meu velho homem foi crucificado.

    A morte acabou com tudo o que não pode ser consagrado a Deus e somente a ressurreição torna possível qualquer consagração. Ele é a fonte da minha vida, Ele é a minha vida.

    De modo que não posso deixar de oferecer tudo a Ele, pois tudo é dEle e não meu. Deus condenou toda a velha criação na cruz.
Consagração significa que daqui por diante considero toda a minha vida como pertencente ao Senhor.

    Eu não me pertenço mais, pertenço a Ele.

    A vida cristã começa com essa revelação, de que por que Cristo ressuscitou estamos "vivos para Deus" e não para nós mesmos. Isso significa não usar mais o meu tempo, dinheiro, talento segundo a minha própria vontade, pois somos do Senhor e não de nós mesmos.

O que é santidade?

    Muitas pessoas pensam que nos tornamos santos pela erradicação de algo maligno em nós. Não, tornamo-nos santos por sermos separados para Deus.

    Aquele que era escolhido para ser inteiramente de Deus era publicamente ungido com azeite, e dizia-se então estar "santificado". Daí em diante havia sido posto à parte para Deus.

    Pessoas, animais coisas eram santificados não pela erradicação de algo maligno neles, mas por serem assim reservados exclusivamente para o Senhor.

    E toda a verdadeira santidade é ao Senhor (Ex 28:36) Dou-me inteiramente à Cristo - Isso é santidade.

    Esse é um ato definido - existe um dia específico em que passo das minhas próprias mãos para as mãos dEle; Desse dia em diante não pertenço mais a mim mesmo mas para Ele.

    Isso não significa que me consagro a ser pastor ou missionário - Isso às vezes significa consagrar as minhas faculdades naturais, não crucificadas para realizar o trabalho de Deus.

    A verdadeira consagração não é ao trabalho cristão, mas sim à vontade de Deus para ser e fazer o que Ele desejar.

    Davi tinha generais e porteiros, conforme o rei lhes designava a tarefa. Recebemos as nossas responsabilidades segundo o que Deus quer e não segundo o que escolhemos.

    Deus já tem uma carreira preparada para você (II Tm 4:7). São as nossas vontades que estão em jogo aqui. Você deseja alguma coisa separadamente de Deus? Se buscarmos nossa própria satisfação nunca poderemos glorificar a Deus.

Servo ou escravo?

    Você tem controvérsias com o Senhor? Igreja, família, trabalho. Um servo pode servir outra pessoa mas não se torna propriedade dela. Se gostar do senhor o servirá senão largará o serviço e irá atrás de outro senhor.

    Mas com o escravo não. Não é apenas um empregado, mas a propriedade do seu senhor.

    Por direito de redenção sou propriedade de Deus, mas para ser seu escravo devo voluntariamente me dar a Ele, pois Ele nunca me obrigará a fazê-lo.

    O que Deus requer de você é a sua própria vida. Ideais que se estimam, vontades fortes, relações preciosas, trabalhos prediletos, que têm de desaparecer da sua vida.

    Ele começa a quebrar tudo o que lhe é oferecido assim como Ele fez com os pães para alimentar a multidão.

    Somos um vaso quebrado. Deslocados no mundo, mas se quisermos ser úteis para Deus precisamos prosseguir, para não ter mais controvérsias com Deus, ou seja, unir a minha vontade à dEle.

    Minha entrega ao Senhor é o início fundamental, mas dia-a-dia continuo me entregando. Não nos consideramos mais nossa propriedade, mas reconhecemos em tudo Sua possessão e autoridade! Não somos mais de nós mesmos.

    ICo 6:19-20  Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? (20) Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo.

    A rendição também é o resultado da revelação de que eu sou habitação do Espírito Santo. Quando reconhecemos que somos templo do Senhor, não somos mais de nós mesmos.

    A consagração se seguirá a essa revelação.

    A diferença entre os cristãos vitoriosos e os derrotados é que alguns reconhecem a habitação do Espírito Santo no seu interior. Eles reconhecem que a sua vida é uma propriedade divina enquanto outros são os seus próprios mestres.

    A revelação é o primeiro passo da santidade e a consagração é o segundo. É necessário que haja um dia tal como na conversão em quem abrimos mão de todos os direitos sobre nós mesmos e nos submetemos ao senhorio absoluto de Cristo.

    Haverá situações para testar a realidade da nossa consagração a Deus. Não somos mais senhores apenas mordomos.

    Se não dermos autoridade absoluta ao Espírito Santo em nossas vidas, então teremos a sua presença, mas Ele não poderá exercer o seu poder sobre nós. Você está vivendo para o Senhor ou para si mesmo?

    Há alguma coisa em sua vida que Deus está pedindo, a qual você ainda não lhe rendeu? O Espírito Santo não poderá produzir a vida de Cristo em você enquanto não resolver cada controvérsia entre você e Deus.

    Nossa completa rendição normalmente envolve alguma questão particular. Se não assumirmos nossa posição de escravos Ele também não pode assumir sua posição de Senhor.

    "NADA PARA MIM MESMO TUDO PARA TI JESUS".

    Um pecador perdoado é completamente diferente de um pecador comum.

    Um cristão consagrado é completamente diferente de um cristão comum.

    Havia muitas tendas no arraial, mas havia uma consagrada para Deus.

    A tenda da congregação - Ali Deus se manifestava ao seu povo. Quando nos posicionarmos com relação ao Senhorio de Cristo então conheceremos o poder do Espírito Santo que em nós habita.

RMI - Rede mundial de Intercessão


Adoração em Palavras

Palavras de Edificação, Adoração, Estudos

Aliança Profética

“Assim veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta. Então disse eu: Ah, Senhor DEUS! Eis que não sei falar; porque ainda sou um menino. Mas o SENHOR me disse: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar, falarás. Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o SENHOR. E estendeu o SENHOR a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o SENHOR: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca.” (Jeremias 1:4-9)

Aliança. Deveria ser sinal de compromisso, união, afeto em comum; Dizem que ela é circular porque simboliza uma união eterna e sem fim, mas parece que não é exatamente isso que ela tem significado em nossos dias. Parece que o propósito de usar este simbolo valioso para expressar um compromisso, afeto mútuo e amor não tem sido muito valorizado ou talvez muitas pessoas na verdade fazem uma aliança achando que se amam quando não amam. Deus tem me incomodado com duas palavras: “Aliança Profética”, estava em casa esses dias e meditando em Sua palavra o Espírito Santo tocou meu coração e disse: – Eu quero fazer uma aliança com você. Você quer fazer uma aliança comigo? Eu respondi: – Espírito Santo, eu já fiz uma aliança contigo. Ele me disse: – Não estou falando dessa aliança. Essa aliança foi eu quem fiz com você, na verdade você ainda não fez aliança alguma comigo. Quero fazer com você uma Aliança Profética. Eu não entendi a princípio e em espírito perguntei ao Espírito Santo: – Como é essa aliança Espírito Santo? O Espírito Santo me respondeu: – Quero que você sinta o que eu sinto, veja o que eu vejo, ouça o que eu ouço e fale o que eu falar.

Nos dias de hoje, infelizmente os termos “Profetizar”, “Profético”, “Profeta”, todos tem sido distorcidos fazendo com que o homem seja mais emocional do que espiritual, ao invés de crescer todos nós temos regredido porque não entendemos o significado de cada uma dessas palavras e tomamos atitudes que Deus não quer que tomemos e falamos palavras que Deus não nos mandou falar. Quando o Espírito Santo falou ao meu coração sobre Aliança Profética Ele me direcionou e me mostrou o chamado tanto de Isaías, quanto o chamado de Jeremias, porém o que mais me impactou foi o relatar da bíblia sobre ambos chamados: “O Senhor tocou-me a boca”, e logo após o Senhor disse: “Eis que ponho as minhas palavras na tua boca” é nesse exato momento que o Deus faz uma aliança com eles. Quando o Espírito Santo falou ao meu coração sobre Aliança “Profética” o termo profético aqui é simplesmente relativo à INTIMIDADE. O Profeta era íntimo de Deus, mais íntimo que o sacerdote, mais íntimo que os levitas, era o grau que se comunicava diretamente com Deus e sentia tudo o que Deus sentia; ele vivia completamente dependente do que Deus falava e quando recebia seu chamado profético simbolizava que a sua vida no meio do povo seria diferente, os seus sentimentos seriam diferentes, os seus desejos seriam diferentes.Hoje nos nossos dias o Espírito Santo está querendo fazer uma Aliança Profética, isso não é somente pra mim, mas, isso significa que o Espírito Santo deseja fazer uma Aliança Profética com aqueles que desejam ser diferentes, com aqueles que desejam ser usados por Ele para a manifestação da Sua glória na terra.

Aliança Profética com o Espírito Santo é se tornar um profeta andando na contramão do mundo e em direção à vontade do Pai, é se colocar a disposição para sentir o que o Espírito estiver sentindo, para ver o que Ele estiver vendo, para ouvir o que Ele tem ouvido, para falar o que Ele quer falar. Aliança Profética é ser chamado para ser íntimo do Espírito Santo e ter os Seus sentimentos, ser direcionado e direcionar os outros até Ele. O Espírito Santo quer ser íntimo daqueles que O servem; nós temos o costume de apenas viver uma vida de oração e louvor e em santidade esperando o retorno de Cristo, mas o Espírito não quer mais isso ele deseja que nos voltemos e andemos com Ele, que vivamos uma vida de desfrutar dEle e sentirmos diariamente a Sua presença e sermos guiados pela Sua voz. Fazer uma Aliança Profética com o Espírito Santo, é ser totalmente íntimo dEle e querer descobrir o Seu coração é perguntar pra Ele: Como vai? Tudo bem? Como está se sentindo hoje? Isso não é blasfêmia não querido! É INTIMIDADE, e é isso que Ele deseja. Faça hoje essa Aliança com o Espírito Santo, uma Aliança Profética que une o seu coração ao coração dEle, e que una os sentidos dEle ao seus sentidos e jamais acabe. Uma Aliança de Profeta, amigo do Espírito Santo.

 

Fazer uma Aliança Profética e se tornar um profeta é se colocar a disposição para entender o próprio coração de Deus.
Leo Martins


 

 

Eu, o Amigo de Deus

Quem é Deus? O que Ele é para nós? Como o tratamos? Parece que muitos de nós não fazemos costumeiramente este tipo de pergunta. Ontem a noite tive uma experiência diferente com Deus, na verdade desde que minha esposa voltou de uma escola intensiva de dança onde ela recebeu algumas ministrações e palavras parece que isso impactou a minha vida de alguma forma e comecei a me relacionar de forma bem mais íntima e bem ansiosa por Deus. Parece que algumas vezes Deus utiliza experiências de outras pessoas pra nos fazer sentir o desejo de viver também as nossas próprias experiências e aventuras com Ele. Mas, antes de ontem à noite, alguns dias atrás estava meditando na palavra de Deus pela manhã e Deus trouxe uma palavra no meu coração, à palavra, “Amigo”.

Logo após ter sentido isso em meu coração fui direto ao final da minha bíblia onde há uma concordância (sempre que preciso achar algo com facilidade dou uma buscada lá), e procurei pela palavra, Amigo. Sabe o que eu encontrei? Alguns provérbios outros versículos, mas descobri que existe apenas UMA pessoa que Deus se refere como amigo, e essa pessoa foi Abraão. Só existem três referências ao termo Amigo de Deus e em todas as referências só há o nome de UM homem, esse nome é Abraão. Logo depois, de ter lido essas referências isso ficou dentro do meu coração, e me incomodou muito e percebi que Deus estava querendo me ensinar novamente uma nova lição, e que parece que ainda não acabou, pois a cada minuto Deus está me falando algo novo sobre ser Amigo de Deus.  

Porventura, ó nosso Deus, não lançaste fora os moradores desta terra de diante do teu povo de Israel e não a deste para sempre à posteridade de Abraão, teu Amigo?” (II Crônicas 20:7). 
“Mas tu, ó Israel, servo meu, tu, Jacó, a quem elegi descendente de Abraão, meu Amigo,” (Isaías 41:8).
“[...] e se cumpriu a Escritura, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça; e: Foi chamado Amigo de Deus.” (Tiago 2:23).  

Você tem um amigo? Qual é a sua relação com Ele? Vocês se conhecem, não é verdade? Contam segredos uns para os outros, compartilham os sentimentos, choram juntos e se divertem, sabe o que faz um ou outro ficar irritado porque caminham juntos. Se disser que Deus quer que sejamos seus amigos estaria falando algo simplesmente pra expressar o que quero passar e não a realidade, o quero dizer é, não dá parte de Deus, mas, da minha parte eu quero ser amigo de Deus, e você? Tenho buscado que parece ansiosamente em ser amigo de Deus porque aqueles que são amigos de Deus desfrutam de algo que Abraão desfrutou intimidade com Deus, conhecer os segredos de Deus, aquilo que ele deseja fazer. Deus escolheu Abraão, mas acredito que amizade de Abraão veio depois de um tempo se relacionando com Deus. Deus nos escolheu como amigos. Quando passamos a conhecer os mistérios e os segredos de Deus, isso significa que temos a oportunidade de sermos amigos de Deus. 

Analisando o relacionamento de Abraão com Deus percebemos que a base de escolha de Deus para seu amigo é:

1) Deus escolhe um homem.
2) Deus faz uma aliança com esse homem.
3) Deus prova a confiança desse homem em Sua palavra.
4) Deus faz desse homem seu melhor amigo. 

Deus escolheu a Abraão como um amigo, fez uma aliança com Ele, mas não o tinha feito seu melhor amigo porque ainda não havia provado a confiança de Abraão nEle. Por isso que algumas vezes Deus nos prova! Porque ele sente a necessidade de criar um laço maior e pra isso é necessário que o nosso caráter seja pronto pra fazer parte desse laço maior. Deus provou Abraão, pedindo o seu próprio filho o seu único filho! Abraão não negou, creu em Deus, confiou na aliança que tinha com Deus, isso o fez justo e se tornou Amigo de Deus.

Quer viver muito melhor aqui nessa terra? Quer ser mais feliz? Quer ter mais paz? Seja amigo de Deus. Ele te escolheu, vai te provar, mas no final ele você vai ser conhecido como “João, o Amigo de Deus”.  

 

“O amigo conhece o coração do seu amigo, o amigo ouve os segredos do seu amigo, o amigo chora com o seu amigo. Imagine como é ser o amigo, melhor amigo de Deus”.
Leo Martins

 


 

O homem ansioso e o paciente

Em certa cidade habitavam dois homens, o primeiro, trabalhador com uma bela casa, família, filhos saudáveis e ele também por si mesmo era saudável. O segundo com uma casa mais simples, também com sua família e belos filhos. Além de algumas diferenças tais homens tinham algo muito estranho em comum, suas casas não tinham muros eram casas desprotegidas sem tipo algum de barreira ou impedimento que pudesse proteger e assegurar suas vidas e famílias.

Todos os dias pela manhã o primeiro homem ao acordar recebia o seu jornal de notícias onde se punha a par de todos os atuais e futuros acontecimentos e numa manhã em que acordou, tomou seu jornal e se deparou com a seguinte notícia:

- Atenção moradores da cidade. Preparem-se, protejam suas casas, pois está vindo por aí uma grande tempestade.

Logo que acabou de ler o primeiro homem desesperado, se estremeceu de medo e correu atrás de todos os materiais necessários para proteger a sua casa e a sua família. Pegou um pouco de cimento que tinha não se importou com a quantidade, não se importou com a qualidade por que nem sabia se era novo ou velho, e já misturou a um tanto de areia, um tanto de pedra e começou a levantar um muro, passou a noite em claro erguendo o muro querendo se proteger da tempestade. Logo pela amanhã com seu muro erguido olhou do outro lado e viu que o vizinho, o segundo homem, não havia começado ainda. E perguntou:

- Amigo você já está sabendo da tempestade?

- Sim, estou. Respondeu o vizinho.

- Eu me preparei, veja meu muro! O construí com minhas próprias mãos, é resistente contra qualquer tempestade, nenhum vento pode derrubá-lo. Apressei-me porque não queria deixar para ultima hora e ver minha casa desabando. Mas pelo visto você nem está se preocupando está aí mexendo a massa ainda e segundo a previsão do jornal faltam 2 dias para ocorrer a tempestade.

- É eu sei.

- Mas como você pode estar tão tranqüilo! E se não der tempo? E se você não conseguir construir seu muro a tempo? E se você não puder proteger a sua casa? Você é um tolo mesmo.

- Sim, eu sou. Respondeu tranquilamente o segundo homem, enquanto olhava o pacote do cimento, a qualidade da areia, e misturava um ao outro juntamente com a pedra e mexia-os calmamente com muito cuidado e atenção.

 No 3º dia, lá estava o segundo homem, sentado olhando para os céus admirando a beleza das nuvens e o brilho do sol. Tomou mais uma vez a massa em sua mão e mexia, mexia e mexia. Se você estivesse lá olhando iria até se cansar de ver, pois aquele homem não se cansava de mexer a espátula. Levantando-se tomou a massa, um bloco de tijolo e começou a levantar o muro. Do alto de seu muro estava lá o primeiro homem olhando.

  Como é possível!? Ande rápido com isso homem! Você não vai terminar à tempo. Você precisa correr, precisa acabar logo com isso! Você quer se ferir e ferir a sua família?Como se não tivesse ouvido o segundo homem continuou calmamente colando os blocos com a massa e levantando o muro pouco a pouco. Ao cair à noite, foi-se deitar e no 4º dia pela manhã continuou levantando o muro devagar, devagar foi colando cada bloco com muita precisão.

De repente surgiu um sonido grande de vento, e o soar dos trovões, a tempestade estava vindo, e o segundo homem continuava lá colando um bloco ao outro com sua massa. Na tempestade formou-se um furacão que começava a vir em direção a casa do vizinho e provavelmente sua casa seria a próxima e seu muro ainda não estava terminado, mas ele ainda estava lá colando os blocos de seu muro. Com a ventania do furacão e sua força o muro do vizinho desabou ao chão deixando a casa desprotegida, foi triste! Foi terrível! A casa foi totalmente destruída. Quando o furacão estava passando da casa do vizinho para sua casa, lá estava o segundo homem colando os blocos e de repente como num passe de mágica os seus se abriram e o sol apareceu, o vento parou e uma brisa suave e fresca soprava. E o segundo homem que estava levantando o muro parou andou até a casa destruída de seu vizinho e lhe perguntou, você precisa de ajuda?

“Não andeis ansiosos por coisa alguma, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário?”

 “Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar, um côvado à sua estatura? E pelo que haveis de vestir, porque andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam”

 “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? Ou: Que havemos de beber? Ou: Com que nos havemos de vestir?”

 “(Pois todas estas coisas os gentios procuram) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso.”

(Mateus 6:25,27,28,31,32)

Todos nós somos sujeitos a termos os nossos problemas pessoais, todos somos sujeitos a dificuldades da vida, seja emocional, seja financeira. E muitas vezes mediante as circunstâncias da vida agimos desesperadamente por nós mesmos fazendo com que os muros que achamos que podem nos proteger sejam levantados de qualquer jeito. Tornamos-nos como crianças super-ativas correndo de um lado para o outro enquanto o nosso pai tenta nos alertar que não é por esse caminho, tentamos resolver os nossos próprios problemas pensando sermos capazes de resolvê-los por nós mesmos. Fazemos como o primeiro homem que se apressou em construir um muro sem ver a qualidade do cimento, sem se importar com a validade da massa, achamos que quando resolvemos o problema à nossa própria maneira, o trabalho é excelente, mas na verdade estamos tampando o sol com a peneira.

Deus quer que você seja dependente dele, mais do que isso, Deus quer que você confie nEle, pois ele como pai, sabe tudo o que é necessário para você sem você precisar se desesperar para resolver qualquer tipo de problema na sua vida.

 Bem-aventurado é o homem que aguarda pelo agir de Deus e em suas mãos deposita toda a sua confiança.

Leo Martins

 

 


Se humilhar é a chave

“Entra nas rochas, e esconde-te no pó, do terror do SENHOR e da glória da sua majestade.Os olhos altivos dos homens serão abatidos, e a sua altivez será humilhada; e só o SENHOR será exaltado naquele dia. Porque o dia do SENHOR dos Exércitos será contra todo o soberbo e altivo, e contra todo o que se exalta, para que seja abatido; E contra todos os cedros do Líbano, altos e sublimes; e contra todos os carvalhos de Basã; E contra todos os montes altos, e contra todos os outeiros elevados; E contra toda a torre alta, e contra todo o muro fortificado; E contra todos os navios de Társis, e contra todas as pinturas desejáveis.E a arrogância do homem será humilhada, e a sua altivez se abaterá, e só o SENHOR será exaltado naquele dia. E todos os ídolos desaparecerão totalmente. Então os homens entrarão nas cavernas das rochas, e nas covas da terra, do terror do SENHOR, e da glória da sua majestade, quando ele se levantar para assombrar a terra.” (Isaías 2:10-19)

 

Existe uma forma de chegarmos mais perto de Deus. Alguns podem pensar: “Mas eu já não estou perto?”, talvez essa seja a diferença entre uns e outros, a diferença é a fome, alguns quanto mais tem mais querem, e outros se contentam com o pouco do relacionamento individual com Deus. Mas a realidade, é que Deus criou uma estrutura nivelada desde o passado, onde no tabernáculo de Moisés temos: O Altar, A Pia, O Santo Lugar, Santo dos Santos.O Altar – Lugar do sacrifício para a remissão dos pecados e perdão da culpa do homem.
A Pia – Lugar para purificação.
O Santo Lugar – Lugar da Adoração (Somente sacerdotes).
O Santo dos Santos – Lugar da presença de Deus.

Havia um porém, somente o sacerdote podia entrar na parte interna do
tabernáculo. Porém o Senhor finaliza este modelo e nos dá total acesso a ele.
Porém precisamos caminhar em direção ao lugar onde Deus está. Não há como pular,
é preciso passar pelo altar, encontrar a pia, entrar no santo lugar e entao com um suspiro entrar no santo dos santos, aonde ele está nos esperando. O Segredo de tudo é somente um, se humilhar, reconhecer a grandeza de Deus e a nossa dependência dEle, porém por muitas vezes não agimos dessa forma ou queremos nos achegar a ele cheios da nossa vaidade, orgulho e soberba. O Espírito Santo nos dá acesso total a receber o seu consolo, porém a humildade é a escada a ser subida. Qual é o seu desejo? É mais intimidade de Deus? É conhecer a Ele muito mais do que ler sobre ele ou ouvir belas mensagens discursadas? Quer entender seu coração e compartilhar das Suas vontades? Quer descobrir um Deus muito mais profundo do que tem experimentado?

 

Se humilhar é a chave, “Qualquer, pois, que a si mesmo se exaltar, será humilhado; e qualquer que a si mesmo se humilhar, será exaltado.” Mateus 23:12. Erramos de forma muito séria quando pensamos que essa exaltação se refere a grandeza humana ou as riquezas do homem, erramos quando damos a este versículo uma visão egocêntrica e futil. O único que é exaltado é o próprio Deus, quando o Senhor Jesus diz que exaltaria os humilhados significa “Elevar até a si”. Quando nos humilhamos diante do nosso Deus, percebendo nossa limitação e nossa dependência por Ele, Ele nos eleva até si, nos coloca ao seu lado. Este é o segredo de desfrutar da presença grandiosa dEle de forma mais intensa. Se humilhar, essa é a chave, se humilhar é a chave para ser elevado até o mais alto lugar, ser levado até o Santo dos Santos e lá mesmo se deparar com a chama de Deus, a sua glória, o seu sorriso, a plenitude da sua presença.Tenho desejado particularmente chegar até lá, e depois de ter tentado com todas as minhas forças e utilizando as minhas formas humanas, o meus belos acordes dissonantes, e convenções, e escalas e melismas e… Descobrir que a única coisa que ele quer de mim é o que eu não sei fazer. Sem melodias, sem harmonias, sem palavras, sem canções, mas somente um som fluindo de mim, o som da minha humilhação.

 

“Se humilhar é a chave, a chave que abre a porta para o coração de Deus”
Leo Martins

16Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu que os escolhi para que vão e dêem fruto e que esse fruto não se perca. Isso a fim de que o Pai lhes dê tudo o que pedirem em meu nome. 17O que eu mando a vocês é isto: amem uns aos outros.

João 16,17


 O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 

1 Coríntios 13:4-7

 


E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem, pois digno é o obreiro de seu salário. Não andeis de casa em casa."  (Lucas 10:7)

 

 


CASAL MISSIONÁRIO FILIMON E LAIANE NO PROJETO MENINAS DOS OLHOS DE DEUS.

 BAHIA

 FILIMONELAIANE@YAHOO.COM.BR

 


 


 

 


 

 

topo